sábado, 16 de junho de 2007

O patronato e a imigração

O patronato e a imigração, ou algumas vantagens que a imigração oferece ao patronato:

- Exploração dos povos desenraizados e pobres e, como tal, submissos às ordens de um patronato que os ameaça com a expulsão.

- Utilização da mão-de-obra barata, mas ávida de consumismo, dado que são um alvo fácil da publicidade.

- Dividir a classe operária portuguesa com a introdução de povos não-assimiláveis nas redes de reivindicações dos trabalhadores (sindicatos), baixando os custos da mão-de-obra.

- Estabelecimento de comunidades alógenas no seio da população portuguesa a fim de compartimentar o povo (dividir para reinar).

- Destruir a identidade nacional ou o sentimento de pertença do povo a fim de melhor modelar os desejos desse mesmo povo, para o tornar um alvo comercial mais fácil de abordar.

- Esvaziar as antigas províncias ultramarinas das suas forças vivas, impedindo o regresso dos trabalhadores qualificados aos seus países de modo a quebrar a esperança desses países de um novo impulso económico.

- Permitir a estigmatização para desqualificar toda e qualquer voz discordante, excluindo assim os identitários, com o intuito de proteger os partidos do sistema, denunciando toda a discordância como sendo “racista” ou “fascista”.

- Enfraquecer Portugal, tornando-o desprovido de qualquer sentido de identidade e comunidade específica, criando a ideia que apenas existe um contrato social, levando ao desaparecimento da política para desse modo conduzir ao reino da economia.

fonte: http://arqueofuturista.wordpress.com/


vampos acabar com isto

PNR!

3 comentários:

Anónimo disse...

Esse texto foi copiado do blogue Arqueofuturismo Online.

NODDY disse...

por acaso vi-o no novo press mas tenho me esquessido das fontes:S se me deres o blog original eu ponho a fonte

Anónimo disse...

http://arqueofuturista.wordpress.com/